quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Como Funciona a Pipoca?

.Como é um,a delícia uma pipoca bem quentinha com uma pitada de sal e com manteiga derretida por cima? Mas você sabe como é que ela funciona?Vamos ver como é que funciona a pipoca! .

.A pipoca (do tupi antigo pira - pele + pok - estourar = pele estourada) é um prato feito a partir de uma variedade de milho (milho de pipoca), que explode quando aquecido. A pipoca tem características muito interessantes. Você coloca uma embalagem achatada (menor do que uma carteira) no forno de microondas e em três minutos ela se expande até chegar a um volume 40 ou 50 vezes maior do que sua forma original.





Photodisc/Getty Images

Existem três elementos que fazem a pipoca funcionar assim:

  • umidade dentro da semente
  • amido dentro da semente
  • casca dura que envolve a semente
Quando uma semente de pipoca esquenta (em uma panela, pipoqueira ou forno de microondas), a água dentro da semente se expande. A umidade é extremamente importante para a pipoca. Se não houver água na medida certa, a semente não estoura. Quando a pressão dentro da casca aumenta bastante, a semente estoura. Essa parte parece bastante comum - muitas coisas explodem quando você as esquenta. A parte estranha é o branco que se forma durante o processo. De acordo com este artigo (em inglês):

    "o pequeno grão de amido gelatinizado não estoura, porém se expande em pequenas bolhas gelatinosas. As bolhas próximas se fundem e solidificam formando uma malha tridimensional, parecida com uma pia cheia de espuma de sabão. Esta é a parte branca, fofa, que comemos".
O pão se comporta de maneira semelhante - ele se expande e se solidifica (só que mais lentamente). Veja abaixo três experiências que você pode fazer para entender melhor como funciona a pipoca.

  • Use uma agulha ou alfinete para furar as cascas de algumas sementes de pipoca e tente estourá-las. Elas não vão estourar porque não ocorre aumento de pressão nas sementes perfuradas.
  • Deixe as sementes em um forno quente ou ao sol por vários dias e depois tente estourá-las. O forno ou o sol vão secar as sementes, e elas não vão estourar.
  • Tente estourar a pipoca a temperatura baixa (abaixo de 150ºC). Não vai funcionar - ela tem que chegar a temperaturas superiores a 150ºC para que a pressão interna da semente cresça a ponto de estourar.
Fonte: http://www.hsw.uol.com.br/questao255.htm
.


--------------------------------------------------

sábado, 14 de novembro de 2009

Por que chimpanzés não falam??

.
 Você pode nunca ter se perguntado isso, mas a questão é curiosa: afinal, se homens e chimpanzés compartilham mais de 99% dos genes, por que nós falamos e eles não?

A resposta pode ter sido encontrada por um grupo de cientistas da Universidade da Califórnia que, em estudo publicado na Nature, ligam a capacidade de fala do homem a um único gene. .

.Estudos anteriores já haviam relacionado mutações no gene FOXP2 a distúrbios de fala e linguagem em humanos, daí a pista para investigar se ele seria um elemento decisivo para essa habilidade.

Utilizando células e tecido humanos e tecido do cérebro de chimpanzés, os pesquisadores constataram que mutações no FOXP2 durante sua evolução nas duas espécies mudaram a maneira como ele funciona. A composição dos aminoácidos das proteínas que o gene encontardo em humanos codifica mudou bastante à medida que a linguagem surgiu em homens modernos.

Isso significa que gene atua ligando e desligando diferentes genes em chimpanzés e humanos e explica porque o cérebro do nosso primo símio não nasce com os circuitos da fala.

As descobertas fornecem pistas sobre a evolução do nosso cérebro e podem apontar para possíveis tratamentos para distúrbios caracterizados pela disfunção na fala, como autismo e esquizofrenia. Além disso, elas devem ajudar a entender a evolução de outras habilidades humanas, como percepção, intuição e razão.


Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/por-que-chimpanzes-nao-falam-12112009-33.shl
.
--------------------------------------------------

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Criacionismo tem vez nas escolas?


Pesquisa do British Council em dez países mostra que mais da metade da população acredita que o criacionismo e o design inteligente devem ser ensinados nas escolas.
No total, foram entrevistadas 11.768 pessoas da África do Sul, Argentina, China, Egito, Espanha, Estados Unidos, Grã Bretanha, Índia, México e Rússia.

Apenas 20% das pessoas concordaram que as teorias evolutivas deveriam ser ensinadas nas aulas de ciências das escolas, sendo que os maiores números foram na Índia e Espanha, onde 37% e 34% da população, respectivamente, concordaram com a afirmação. A menor porcentagem foi na Rússia: apenas 10%.
Já 43% dos entrevistados acham que as teorias evolutivas deveriam ser ensinadas nas aulas de ciências junto com outras possíveis perspectivas, como o design inteligente e o criacionismo. A Argentina (65%) e o México (56%) foram os que se mostraram mais favoráveis ao ensino de ambas, e o Egito, com 19%, o que menos.
Aqueles que acreditam que somente outras teorias, e não o evolucionismo, deveriam ser ensinadas são apenas 10% - sendo que o país que se mostrou mais favorável às crianças aprenderem sobre criacionismo e design inteligente foi a China, com 19%. Grã Bretanha e Argentina, ambas com 6%, foram os países que menos concordaram com a idéia de abolir o evolucionismo das aulas de ciências.
Somadas, as pessoas que, de algum forma, acreditam que o criacinismo deva ser ensinado são 53%. No mundo, 7% das pessoas acreditam que nenhum tipo de teoria, seja ela evolucionista ou criacionista, deveria ser ensinada nas escolas.
Em julho, outros dados dos mesmos países já haviam sido divulgados pelo British Council. Na pesquisa, a maioria das pessoas concordava que era possível acreditar simultaneamente em Deus e na ideia de que a vida evoluiu na Terra por meio da seleção natural.  Na Índia (85%) Mexico (65%), Argentina (63%), África do Sul, Grã Bretanha (54%), Estados Unidos e Rússia (53%), mais da metade da população concorda com a afirmação. No Egito, Espanha (45%) e China (39%), as porcentagens foram menores.






 

Fonte: Info Abril.

--------------------------------------------------

domingo, 25 de outubro de 2009

Defensor da teoria evolutiva quer convencer criacionistas para explicar darwinismo

Richard Dawkins, defensor ferrenho da teoria evolutiva Depois de passar anos negando o Holocausto, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, muda-se para Nova York e inaugura um instituto de estudos históricos. Mesmo que suas aulas não discutam a 2ª Guerra, quantos judeus se inscreveriam nelas?
Uma situação análoga a esse caso hipotético se aplica a Richard Dawkins e seu recém-lançado livro "The Greatest Show on Earth" ("O Maior Espetáculo da Terra").
Divulgação
Richard Dawkins, defensor ferrenho da teoria evolutiva
 .

O biólogo britânico tem sido o mais célebre paladino do ateísmo e militante anticriacionista dos últimos anos. Sua obra anterior dedica-se a tentar provar que Deus não existe, tratando os religiosos como imbecis e imputando à ciência -e em particular à evolução darwinista- o papel de "força conscientizadora".
Agora, Dawkins escreve este outro livro, cujo subtítulo é "As Evidências em Favor da Evolução", para argumentar por que o darwinismo é um fato. Seu objetivo declarado é converter os "negadores da história", como ele chama os criacionistas, à verdade da evolução, e municiar gente racional para argumentar contra o criacionismo.
Mas, como os judeus de Ahmadinejad, que criacionista compraria um livro que defende a evolução, ainda mais escrito por Richard Dawkins? Talvez o autor pudesse ir direto ao ponto e confessar que escreveu "The Greatest Show on Earth" só para tirar uma casquinha das efemérides darwinistas de 2009. Este ano, que marca o bicentenário de nascimento de Charles Darwin e os 150 anos de "A Origem das Espécies", testemunhou uma explosão cambriana de títulos sobre evolução. Só faltava este.
Aos idiotas como eu, que caíram nesse conto-do-vigário, um consolo: o livro é excelente.
Já seria excelente se fosse só pela prosa sedutora de Dawkins, capaz de comparar o desenvolvimento embrionário a origamis e de deixar o leitor emocionado com a descrição de um celacanto. Mas Dawkins faz mais: ele carrega o leitor, não pela mão, mas no colo, por um passeio extremamente didático por 150 anos de evidências em favor do darwinismo.
E as evidências são tantas, vindas de tantas disciplinas científicas diferentes, que é fácil se perder no meio delas. "The Greatest Show on Earth" evita que isso aconteça.
Dawkins começa esclarecendo uma das principais confusões terminológicas em torno da evolução: a palavra "teoria". A maneira como ele derruba essa pedra angular do criacionismo ("o darwinismo é só uma teoria") é elegante: buscando a definição de "teoria" no dicionário e mostrando como ela se confunde com a definição de "fato". O cientista usa o termo para fatos observáveis, como a "teoria" da evolução de Darwin e a "teoria" de que a Terra gira em volta do Sol.
Em seguida, dá início ao espetáculo propriamente dito. Ele recorre à mesma estratégia usada por Darwin na "Origem": fala antes de plantas e animais domésticos e do poder da seleção humana de causar grandes mudanças em espécies (produzindo vegetais tão diferentes quanto brócoli e repolho a partir do mesmo ancestral selvagem) em pouco tempo.
Só depois de ter a certeza de que qualquer criança (ou criacionista) entenderia os conceitos apresentados é que o autor passa à seleção natural propriamente dita. Emulando Darwin mais uma vez, Dawkins desanda a falar de abelhas e orquídeas -às quais o pai da evolução dedicou um livro inteiro.
Fixado no leitor o essencial, Dawkins passa a desfiar seu estonteante conjunto de fatos evolutivos. Ao mesmo tempo, vai aplicando um "jab" após o outro nos principais argumentos do criacionismo e de sua nova roupagem, o design inteligente. Narra um minucioso experimento feito pelo microbiologista americano Richard Lenski para mostrar que a seleção natural pode introduzir informações novas no genoma (criar complexidade, algo que os devotos do design dizem ser impossível). Expõe uma miríade de fósseis para destruir a chicana retórica do "não há fósseis intermediários".

Perguntas erradas

Mais do que responder às críticas dos criacionistas à evolução, Dawkins explica por que quase todas elas partem de perguntas erradas. É o caso de um diálogo imortal (e hilário) que ele reproduz entre uma criacionista e o evolucionista britânico J. B. S. Haldane. A mulher diz a Haldane que simplesmente não podia acreditar que, mesmo em bilhões de anos, se pudesse "ir de uma célula única a um complicado corpo humano". Haldane retruca: "Mas, madame, a sra. mesma fez isso. E em apenas nove meses".
Ao longo das mais de 400 páginas do livro, Dawkins faz mais do que ensinar evolução: ele inspira em seus leitores um encantamento pelo mundo natural que só pode ser plenamente saboreado por uma compreensão da biologia.
Idiotas que caiam nesse conto-do-vigário terminarão o livro agradecidos a Dawkins por compartilhar tal encantamento. E com uma imensa pena dos criacionistas, que jamais chegarão a apreender a grandeza dessa visão da vida.


--------------------------------------------------

Técnica genética poderia "corrigir" doenças hereditárias, diz estudo

.
Cientistas americanos desenvolveram um método experimental que, no futuro, pode fazer com que mulheres portadoras de algumas desordens genéticas não transfiram estes problemas aos filhos.

O estudo, conduzido por pesquisadores da Oregon Health and Science University, foi publicado nesta quarta-feira no site da revista científica Nature e deve sair na edição impressa da publicação nas próximas semanas.
Segundo os cientistas, o novo método, que por enquanto só foi testado em macacos, poderá fazer com que mulheres com desordens genéticas não transfiram estes problemas aos seus filhos por meio do DNA de suas mitocôndrias.
As mitocôndrias são estruturas encontradas nas células e que são responsáveis pela produção de energia e pelo metabolismo celular. Estas estruturas também possuem seu próprio material genético.
Quando o óvulo de uma mulher é fertilizado pelo espermatozoide durante a reprodução, o embrião herda quase que exclusivamente a mitocôndria da mãe, o que faz com que qualquer desordem que ela possua em seu DNA mitocondrial seja transferida para o filho.
Solução

Para tentar solucionar este problema, os cientistas, que trabalhavam com macacos rhesus, conseguiram transferir cromossomos da mãe para um óvulo doado que teve seus cromossomos retirados, mas que tinha a mitocôndria saudável.
Dessa forma, eles conseguiram fazer com que o óvulo pudesse gerar bebês saudáveis, que não herdaram o problema genético da mãe.
O experimento deu origem a dois filhotes de macacos gêmeos que foram batizados de Mito e Tracker.
"Atualmente, são conhecidas 150 doenças causadas por mutações no DNA mitocondrial, e aproximadamente uma em cada 200 crianças nascem com mutações nas mitocôndrias", diz Shoukhrat Mitalipov, um dos autores do estudo.
Entre as doenças que poderiam ser evitadas com a técnica estão algumas formas de câncer, diabetes, infertilidade e doenças neurodegenerativas.
O método, no entanto, pode gerar polêmicas éticas se aplicado em humanos, já que o embrião herda parte do material genético da fêmea que doa o óvulo.

 Falhas anteriores

Pesquisas anteriores haviam tentado corrigir estas alterações genéticas que podem causar doenças ao adicionar mitocôndrias saudáveis doadas nos óvulos de pacientes que queriam ter filhos.
Estas tentativas, no entanto, resultaram no nascimento de bebês não saudáveis, provavelmente porque a mitocôndria é tão delicada que foi danificada ao ser transportada de um óvulo para outro.
Como resultado, este tipo de tratamento foi proibido nos Estados Unidos.
Segundo os cientistas, o novo método, em que o DNA da mãe foi transplantado para outro óvulo que teve o DNA retirado, mas uma mitocôndria saudável, pode ser a solução deste problema.
Para Shoukhrat Mitalipov, a nova tecnologia está pronta para ser testada em humanos.
"Os testes em humanos podem começar em breve, talvez dentro de dois ou três anos", disse.
Alguns grupos, no entanto, expressaram preocupação de que este método possa envolver modificações genéticas que podem ser transferidas por diversas gerações.
"O fato de os efeitos deste tratamento poderem persistir por gerações faz com que debates médicos sejam necessários, assim como mais testes", diz Helen Wallace, do grupo GeneWatch, uma ONG que estuda os riscos da engenharia genética.
Mas, de acordo com o professor Robin Lovell-Badge, do National Institute for Medical Research, em Londres, as pessoas não precisariam se preocupar.
"A mitocôndria não confere características humanas específicas. Seria como mudar as bactérias de nosso intestino, o que eu suspeito que ninguém ligaria". 

Fonte: BBC Brasil

.

--------------------------------------------------

Mosquitos ajudam no combate à malária e à filariose

Os mosquitos que transmitem a malária e a filariose linfática ajudam a combater as duas doenças por meio de engenharia genética e da alteração de seu sistema imunológico, apontam dois estudos divulgados pela revista "Science" na quinta-feira (1º).
.

No caso da malária, cientistas franceses e alemães descobriram uma possível arma para combater a doença no genoma do Anopheles gambiae, o mosquito vetor do parasita que causa a forma mais grave da doença na África.


Mosquito _Anopheles_, transmissor da malária, pode ser modificado geneticamente, a fim de combater a doença, segundo estudo
Mosquito Anopheles, transmissor da malária, pode ser modificado geneticamente, a fim de combater a doença, segundo estudo

No da filariose, também conhecida como elefantíase, pela inflamação severa e o inchaço que causa nas partes do corpo da pessoa afetada, cientistas da Universidade de Oxford descobriram que infectar os mosquitos com um parasita bacteriano deve ajudar a prevenir a doença.
No primeiro estudo, cientistas do Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL, na sigla em inglês), na Alemanha, e do Instituto Nacional de Saúde e da Pesquisa Médica (Inserm, na sigla em francês), na França, descobriram que as variações de um gene afetam a capacidade do mosquito de resistir à infecção do parasita da malária.
"Os parasitas devem passar parte de sua vida nos mosquitos e outra nos seres humanos", afirmou Stéphanie Blandin, da Inserm.
"Ao aprender como os mosquitos resistem à malária podemos encontrar novos instrumentos para controlar a transmissão aos seres humanos em zonas frequentes", acrescentou.
O segundo estudo indicou que infectar os mosquitos com uma parasita bacteriana poderia contribuir no combate à filariose linfática, uma doença que afeta mais de 120 milhões de pessoas no mundo todo.
Segundo os pesquisadores, se o mosquito for infectado com a bactéria Wolbachia, seu tempo de vida pode ser reduzido. 

Fonte: Folha on-line


--------------------------------------------------

Mulher do futuro será menor, mais gordinha e mais fértil, diz estudo


As mulheres do futuro serão levemente mais baixas e rechonchudas, terão corações saudáveis e um tempo reprodutivo mais extenso. Estas mudanças são previstas a partir de extensas provas para documentar que o processo evolutivo ainda atua sobre os humanos.

Os avanços médicos significam que muitas pessoas cujas mortes ocorreriam durante a juventude agora vivem até a terceira idade. Isso leva a uma crença de que a seleção natural não afeta seres humanos e que estes, portanto, pararam de evoluir.
Divulgação

Mulheres do futuro serão levemente mais baixas e rechonchudas, terão corações saudáveis e um tempo reprodutivo mais extenso
"Isso é simplesmente falso", disse Stephen Stearns, biólogo evolucionista da Universidade de Yale. Ele afirma que, embora as diferenças na sobrevivência já não possam mais selecionar aqueles com maior aptidão e seus genes, as diferenças na reprodução ainda podem. A questão é se mulheres que têm mais crianças possuem esses traços distintivos, que elas repassariam aos seus descendentes.
Para desvendar a questão, Stearns e seus colegas trabalharam com dados do Framingham Heart Study, que trazia o histórico médico de mais de 14 mil residentes da cidade de Framingham, Massachusetts, desde 1948 --que englobam três gerações em algumas famílias.


Passando adiante


A equipe estudou 2.238 mulheres que haviam passado da menopausa, e então cruzaram os dados com as respectivas vidas reprodutivas. Para este grupo, a equipe de Stearns testou a altura, peso, pressão arterial, colesterol e outras características correlacionadas com o número de crianças a que elas deram à luz. Eles controlaram alterações devido a fatores sociais e culturais, para calcular o quão forte é a seleção natural para moldar estas características fisiológicas.
E é muito, segundo se confirmou. Mulheres mais baixas e gordas tendem a ter mais filhos, em média, do que outras, mais altas e magras. Mulheres cujos colesterol e pressão eram baixos também tinham mais filhos, e --não surpreendentemente-- tiveram seu primeiro na juventude e entraram na menopausa mais tarde. A surpresa foi que estas características foram passadas para suas filhas que, por sua vez, também tiveram mais crianças.
Caso a tendência persista por dez gerações, calcula Stearns, a mulher média em 2409 será 2 cm mais baixa e 1 kg mais pesada do que ela é atualmente. Ela dará à luz o seu primeiro filho cinco meses mais cedo e entrará na menopausa dez meses mais tarde, em relação à média atual.


Decodificação de cultura


É difícil dizer o que direciona para estas características, e discernir se elas estão sendo disseminadas por genes de mulheres, mas, pelo fato de Stearns controlar muitos dos fatores sociais e culturais, é provável que isso tenha resultado em um documento genético, em vez de um trabalho acerca de evolução cultural.
Não é o primeiro estudo concluindo que a seleção natural está "operando" nos humanos atualmente; a diferença é que muitos dos trabalhos anteriores foram concluídos de diferenças geográficas nas frequências de genes, e não de avaliações diretas do sucesso reprodutivo. Isso deixa o estudo de Stearn como, talvez, a mais detalhada medição da evolução humana atual.
"É interessante que o quadro biológico subjacente ainda é detectado sob a cultura", diz ele. Análises a longo prazo de outros conjunto de dados médicos pode jogar mais luzes sobre a interação entre genética e cultura. 


Fonte: UOL

.

--------------------------------------------------

domingo, 18 de outubro de 2009

Seios podem aumentar com a administração de Ácido hialurônico!

.Turbinar os seios é o sonho de inúmeras brasileiras, tanto que uma recente pesquisa encomendada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) revelou que o procedimento para aumento de mamas representa 21% das intervenções estéticas e ocupa o primeiro lugar no ranking de cirurgias plásticas no Brasil. A demanda, portanto, gera o desenvolvimento de novas técnicas, como a aplicação do ácido hialurônico para aumentar os seios. A substância é conhecida pela excelente indicação no tratamento de rugas faciais e sulcos, com resultados seguros e previsíveis há 15 anos.

.

.Apesar de ser um procedimento não-invasivo e sem anestesia para aumentar os seios, gera controvérsias na comunidade médica. Por isso, quem gosta de novidades é bom ir devagar. "Esse tipo de aplicação do ácido hialurônico ainda não possui estudos científicos que avaliem os reais efeitos ou complicações que ele pode trazer para a beleza e saúde da mulher", disse Alexandre Mendonça Munhoz, especialista em cirurgia plástica de mama e oncoplástica, membro especialista e titular da SBCP. Além disso, ele afirma que, como a substância é reabsorvível, o volume pode diminuir num prazo curto em comparação com o efeito da prótese.

Em 2006, na Suécia, iniciou-se um estudo para avaliar o uso do ácido hialurônico de última geração (Macrolane) no tratamento de irregularidades do contorno corporal. Nesse estudo, que é o único publicado no mundo sobre aumento de mama, divulgado em 2009, um dos grupos avaliados era de pacientes com hipomastia (mamas pequenas). Na pesquisa, 19 pacientes foram submetidas à injeção de ácido hialurônico com volume médio de 200ml na posição atrás da glândula mamária e na frente do músculo peitoral.

Com dois anos de acompanhamento, 40% do volume inicial injetado ainda permaneciam. Dentre as principais complicações, o estudo observou reações como dor intensa durante a injeção, reação local e endurecimento e processo inflamatório temporário. Segundo os autores, no acompanhamento de dois anos com mamografia e ultrassom não foram observadas alterações importantes, como nódulos e calcificações, porém o acompanhamento ainda continua.

O ácido hialurônico é um polímero da família dos polissacarídeos, biocompatível e utilizado em larga escala desde a década de 1990 para o tratamento de rugas e pequenas depressões cutâneas. Normalmente, são pequenos volumes (de 1 a 5ml) injetados dentro da camada dérmica da pele. A partir de meados do ano 2000, novas aplicações clínicas começaram a surgir devido à evolução da produção do polímero desse ácido, bem como maior pureza da molécula e, por consequência, menor reação local. Esses polímeros mais modernos começaram a ser indicados, portanto, para o tratamento de depressões cutâneas, pós-lipoaspiração e sequelas profundas de acne com irregularidades na face.

Consequências
Segundo Munhoz, a aplicação de ácido hialurônico pode acarretar infiltração no músculo peitoral ou mesmo dentro da glândula mamária, o que pode levar à formação de nódulos ou calcificações que atrapalhariam o acompanhamento com mamografia e ultrassom. Como existe a necessidade de injeção de grandes volumes (mais de 100ml) para se obter um bom resultado, a chance de erro na injeção ou mesmo de reação local (inflamação) é muito maior.

De acordo com Munhoz, até o momento não há estudos que avaliem ainda se grandes volumes de ácido hialurônico poderiam ser absorvidos pelos vasos linfáticos e chegar à circulação sanguínea, o que causaria embolia no fígado, rins ou outro órgão vital.

Também não existem dados sobre as consequências desse procedimento na amamentação. "Teoricamente não há riscos, desde que a injeção tenha sido feita totalmente na região correta. Mas nada impede que algumas moléculas cheguem aos lóbulos mamários (por difusão direta ou por erro na aplicação) e entrem em contato com o leite materno. Há a necessidade de estudos futuros, porque o trabalho sueco não avaliou essa questão", disse o médico.

Fonte: Site Terra
.
--------------------------------------------------

sábado, 17 de outubro de 2009

Gabarito do Estudo Dirigido

.Eis o gabarito do Estudo Dirigido de Química para a prova de terça-feira, abraços.

.



01- A
02- B
03- A
04- B
05- B
06- E
07- C
08- E
09- B
10- E
 

.
--------------------------------------------------

Linha do tempo do DNA

Olá pessoal estava eu passando pelo site da folha de São Paulo e achei interessante essa pequena linhado tempo do DNA, confiram e comentem, ah ela vai até 2000 completem nos comentários!!.

.1865
O abade Gregor Mendel (1822-1884), de Brünn (Brno, na República Tcheca), publica trabalho sobre experimentos com ervilhas em que propõe as leis da hereditariedade ("leis de Mendel") e supõe que as características hereditárias são transmitidas em unidades. O trabalho permanece quase ignorado até 1900

1869
O suíço Friedrich Miescher (1844-1895) isola, a partir do pus humano e do esperma do salmão, uma substância com alto teor de fósforo que chama de "nucleína", posteriormente denominada "ácido desoxirribonucléico" (DNA)

1882
O alemão Walter Flemming (1843-1905) descobre corpos com formato de bastão dentro do núcleo das células, que denomina "cromossomos"

1900
O holandês Hugo de Vries (1848-1935), o alemão Carl Correns (1864-1933) e o austríaco Erich Tschermak von Seysenegg (1871-1962) chegam de forma independente aos resultados de Mendel sobre as leis da hereditariedade

1902
O norte-americano Walter Sutton (1877-1906) e o alemão Theodor Boveri (1862-1915) dão início à teoria cromossômica da hereditariedade (as "partículas" da hereditariedade estariam localizadas nos cromossomos)

1909
O dinamarquês Wilhelm Johannsen (1857-1927) introduz o termo "gene" para descrever a unidade mendeliana da hereditariedade. Ele também usa os termos "genótipo" e "fenótipo" para diferenciar as características genéticas de um indivíduo de sua aparência externa

1912
Os alemães Walter Friedrich (1883-1968) e Paul Knipping (1883-1935), seguindo uma idéia de seu compatriota Max von Laue (1879-1960), estudam a estrutura de cristais por meio dos raios X, que são espalhados pelos átomos conforme seu arranjo espacial (difração)

William Lawrence Bragg (1890-1971), nascido na Austrália, chega à lei que descreve esse processo. Seu pai, o britânico William Henry Bragg (1862-1942), analisa matematicamente como se podem determinar as estruturas moleculares a partir das figuras de difração

1915
O norte-americano Thomas Hunt Morgan (1866-1945) e seus alunos Alfred Sturtevant (1891-1970), Hermann Joseph Muller (1890-1967) e Calvin Bridges (1889-1938) publicam o livro "O Mecanismo da Hereditariedade Mendeliana", no qual relatam experimentos com drosófilas, as moscas-das-frutas, e mostram que os genes estão linearmente dispostos nos cromossomos

1927
Hermann Joseph Muller mostra que a incidência de raios X sobre os cromossomos pode induzir mutações genéticas

1928
O inglês Frederick Griffith (1877-1941) publica os resultados de experimentos que mostram que bactérias não-virulentas neumococos tipo RI) podem matar camundongos se forem injetadas com bactérias virulentas mortas (tipo SII). Isso mostrou que poderia haver transformações genéticas entre tipos de bactéria

1931
O russo Phoebus Aaron Levene (1869-1940), trabalhando nos EUA, estuda a estrutura química dos ácidos nucléicos e identifica seus componentes básicos. Os termos "ácido desoxirribonucléico" e "ácido ribonucléico" (RNA) se tornam de uso comum

1938
O britânico William Astbury (1898-1961) obtém a primeira figura de difração do DNA com o uso de raios X e sugere que ele tem uma estrutura periódica regular. Nessa época, predomina a idéia de que a informação genética está contida nas proteínas, porque o DNA teria uma estrutura muito simples para isso

O alemão Max Delbrück (1906-1981) cria nos EUA, com o italiano Salvador Luria (1912-1991) e outros, o Grupo Fago ("Phage Group") para estudar vírus que infectam bactérias (bacteriófagos). A estratégia é investigar os genes combinando física e genética

1944
Publicação de "What is Life?" (O que É Vida?), em que o austríaco Erwin Schrödinger (1887-1961) sugere que as informações genéticas estão armazenadas numa estrutura molecular estável (um "cristal aperiódico"). O livro exerceu grande influência, na época, estimulando a busca pelo "código da vida"

A norte-americana Barbara McClintock (1902-1992), usando o milho como organismo-modelo, descobre os transposons. Eles são sequências de DNA que são capazes de se mover de um lugar para outro no genoma, mostrando que ele é mais dinâmico do que se pensava

Os canadenses Oswald Avery (1877-1955), Colin MacLeod (1909-1972) e Maclyn McCarty (1911-), do Instituto Rockefeller (EUA), mostram que o DNA (e não proteínas) é capaz de transformar bactérias não-patogênicas em patogênicas. Isso sugere que é o DNA que armazena a informação genética

1949
O austríaco Erwin Chargaff (1905-1992) descobre, nos EUA, uma relação quantitativa entre as bases do DNA: a proporção (razão molar) entre adenina e timina é sempre igual, e o mesmo ocorre entre guanina e citosina

1950
Os norte-americanos Linus Pauling (1901-1994) e Robert Corey (1897-1971) identificam a estrutura molecular básica de proteínas (o modelo da alfa-hélice). Dois anos depois, eles propõem uma estrutura para o DNA que se mostraria equivocada, com três cadeias helicoidais entrelaçadas (o modelo da tripla hélice)

1952
Os norte-americanos Alfred Hershey (1908-1997) e Martha Chase (1930- ), usando marcadores radioativos, mostram que é o DNA de um vírus, e não a proteína, que programa as células para fazer cópias do vírus. O experimento reforça a idéia de que os genes estão contidos no DNA

A britânica Rosalind Franklin (1920-1958) obtém imagens de DNA de excelente qualidade, por difração de raios X

1953
O norte-americano James Watson (1928- ) e o britânico Francis Crick (1916-) decifram, em 7 de março, a estrutura de dupla hélice para o DNA e a publicam na revista "Nature" de 25 de abril, na qual saem também outros dois artigos sobre o DNA, um de Maurice Eilkins (1916- ), Alexandre Stokes (1919-2003) e Herbert Wilson (1929- ), e outro de Rosalind Franklin e Raymond Gosling, ambos descrevendo resultados experimentais de difração do DNA com raios X que eram compatíveis com a estrutura proposta por Watson e Crick

Em 30 de maio, também na "Nature", Watson e Crick analisam as implicações genéticas de seu modelo e sugerem um mecanismo para a replicação do DNA

1957
Francis Crick afirma que a especificidade de um fragmento de ácido nucléico depende apenas da sequência de suas bases e que essa sequência é a chave para a disposição dos aminoácidos em uma proteína particular. Propõe que o fluxo de informação vai do DNA para a proteína e que não pode retornar (suposição que ficou conhecida como o "Dogma Central")

1958
Os norte-americanos Matthew Meselson (1930- ) e Franklin Stahl (1929- ) confirmam a hipótese feita por Watson e Crick de que o DNA se replica de maneira semiconservativa: os dois filamentos da molécula de origem se separam e cada um deles passa a se emparelhar com um filamento novo

1960
O norte-americano Arthur Kornberg (1918- ) identifica a polimerase, enzima que catalisa a síntese de DNA e que posteriormente se mostrou uma ferramenta importante na engenharia genética

1961
O sul-africano Sydney Brenner (1927- ), o francês François Jacob (1920-) e Matthew Meselson descobrem que um tipo de RNA (o RNA mensageiro, ou mRNA) leva a informação genética "inscrita" na dupla hélice para a maquinaria celular que produz proteínas. Francis Crick e Jacques Monod tiveram também participação nessa descoberta

O norte-americano Marshall Nirenberg (1927- ) anuncia a comprovação experimental de que uma sequência de bases especifica uma sequência de aminoácidos e revela o conteúdo da primeira "palavra" do chamado código genético (três bases uracila correspondem ao aminoácido fenilalanina)

1966
Grupos de pesquisa liderados por Marshall Nirenberg e pelo indiano Har Gobind Khorana (1922- ) decifram, com outros pesquisadores dos EUA, da Inglaterra e da França, a série completa de "palavras" do código genético

1968
Daniel Nathans (1928-1999) e Hamilton Smith (1931- ), dos EUA, e Werner Arber (1929- ), da Suíça, descrevem as nucleases de restrição, enzimas que reconhecem e cortam sequências curtas específicas de DNA em pontos determinados

1972
O norte-americano Paul Berg (1926- ) obtém as primeiras moléculas de DNA recombinante, unindo DNA de diferentes espécies e inserindo esse DNA híbrido em uma célula hospedeira

1975
Dois grupos de pesquisa desenvolvem métodos de sequenciamento de DNA. O primeiro deles, criado pelos norte-americanos Walter Gilbert (1932- ) e Allan Maxam, é complexo; o mais usado atualmente foi desenvolvido pela equipe do britânico Frederick Sanger  (1918- )

Em encontro internacional em Asilomar (EUA), um grupo de cientistas alerta para a necessidade de estabelecer regras gerais e de segurança para experimentos com DNA recombinante

1976
Criada a primeira companhia de engenharia genética, a Genentech. Produz a primeira proteína humana em uma bactéria geneticamente modificada e, em 1982, comercializa a primeira droga recombinante, insulina humana

1977
O britânico Richard Roberts (1943- ) e o norte-americano Phil Sharp (1944-) descobrem, independentemente, que genes de organismos superiores são interrompidos por regiões chamadas íntrons, que não especificam aminoácidos para a formação de proteínas

1980
David Botstein Ronald Davis, Mark Skolnick e Ray White, dos EUA, desenvolvem técnica baseada no uso de enzimas de restrição para fragmentar o DNA. A técnica foi importante para o Projeto Genoma Humano

A Suprema Corte dos EUA decide que formas de vida alteradas podem ser patenteadas

1982
O primeiro animal (camundongo) transgênico é obtido nos EUA pela equipe de Richard Palmiter e Ralph Brinster

1983
Companhias nos EUA conseguem obter patentes para plantas geneticamente modificadas

Sequenciador de DNA automatizado é desenvolvido nos EUA por Marvin Carruthers e Leroy Hood

É mapeado nos EUA o primeiro gene relacionado a uma doença, um marcador da doença de Huntington encontrado no cromossomo 4. O estudo de James Gusella permitiu o desenvolvimento de um teste diagnóstico

1985
O britânico Alec Jeffreys (1950- ) publica artigo em que descreve técnica de identificação que ficou conhecida como "impressão digital" por DNA ("DNA fingerprint"), que permitiu a elucidação mais precisa de vários crimes

Publicado artigo do norte-americano Kary Mullis (1944- ) que descreve o método PCR (reação em cadeia de polimerase, em inglês), que possibilita a obtenção rápida de bilhões de cópias de um segmento específico de DNA

Os NIH dos EUA aprovam diretrizes gerais para a realização de experimentos com terapia genética em seres humanos

1986
Plantas de tabaco geneticamente modificadas para se tornarem resistentes a herbicida são testadas em campo pela primeira vez, nos EUA e na França

EPA (Agência de Proteção Ambiental dos EUA) autoriza plantações comerciais desse tipo

1988
Nos EUA, Philip Leder e Timothy Stewart obtêm primeira patente para um animal geneticamente modificado, um camundongo altamente suscetível a câncer de mama

1989
Criação nos EUA do Instituto Nacional para Pesquisa do Genoma Humano (NHGRI), chefiado por James Watson, para determinar toda a sequência do DNA que compõe os cromossomos humanos

1990
A terapia genética é utilizada pela primeira vez, com sucesso, em uma menina de quatro anos com um tipo de deficiência no sistema imunológico chamado ADA

1994
Liberação do tomate Flavr Savr, primeiro alimento geneticamente modificado cuja venda é aprovada pela FDA (agência de fármacos e alimentos dos EUA)

1995
É obtida a primeira sequência completa de DNA de um organismo de vida livre, a bactéria Hemophilus influenzae

1996
Nascimento da ovelha Dolly, primeiro mamífero clonado a partir de uma célula de um animal adulto pelo Instituto Roslin (Escócia) e pela empresa PPL Therapeutics. Só em fevereiro do ano seguinte o feito foi divulgado. Dolly morreria de envelhecimento precoce em fevereiro de 2003

Mapa genético completo do camundongo

1998
O britânico John Sulston (1942- ) e o norte-americano Robert Waterstone sequenciam o genoma do verme C. elegans, primeiro organismo multicelular a ter o seu DNA transcrito

2000
Pesquisadores do consórcio público Projeto Genoma Humano e da empresa privada norte-americana Celera anunciam o rascunho do genoma humano, que seria publicado em fevereiro de 2001

No Brasil, pesquisadores paulistas anunciam o sequenciamento do genoma da bactéria Xylella fastidiosa, a causadora da doença do amarelinho em cítricos. O artigo foi destacado na capa da revista "Nature.

--------------------------------------------------

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Pimenta - muitas vantagens

.Além de trazer sabor à culinária, a pimenta é capaz de oferecer benefícios à saúde do nosso corpo e mente. Selecionamos excelentes pratos à base desta deliciosa iguaria
.

. A pimenta, que já foi considerada prejudicial à saúde, hoje tem seu consumo recomendado. “Alguns estudos demonstram que ela diminui o risco de doenças cardiovasculares e, além disso, tem ações analgésica, anti-inflamatória, antioxidante e capacidade de liberar endorfina”, afirma a nutricionista da rede de restaurantes El Camino, Tatiana Mendonça.

Ela ainda revela que o gostinho ardido, derivado da capsaicina (princípio ativo da pimenta) é essencial para a nossa saúde. “Quanto mais picante, mais benefícios esse ingrediente traz”. Melhor ainda, a pimenta auxilia na redução da TPM e ajuda na prevenção das varizes. “O segredo é utilizá-la de forma equilibrada. Se consumido em exagero, o resultado será negativo”, lembra Tatiana.

Apimente a vida com receitas quentes

Toque final de pimenta

O chef Marcones Deus, do restaurante Pax, no Rio de Janeiro, assina pratos como Risotto Thai de camarão com abacaxi ao curry com chips de leite de coco. O risoto é uma excelente opção para aqueles que gostam de um prato bem apresentado e saboroso. A pimenta calabresa acompanha os chips de coco e dá um toque excepcional ao prato.
 
 
Fonte: http://itodas.uol.com.br/Portal/casa_e_comida/comer_e_beber/cardapios_e_receitas/materia.itd.aspx?cod=8010&canal=13

Por Lyvia Squadrans
Fonte: Revista UMA/Ed. 105
Fotos: Divulgação

.
--------------------------------------------------

sábado, 3 de outubro de 2009

Enem 2009 adiado - Nota Oficial

.Vejam a nota oficial de adiamento do ENEM.

.O Ministério da Educação informa que as provas do Enem marcadas para este final de semana foram adiadas por motivos de segurança.
O Inep já possui uma segunda prova e deve anunciar a nova data nos próximos dias, depois de reorganizar a logística.
O Ministério da Educação já tomou providências junto ao Ministério da Justiça e a Polícia Federal no sentido de apurar eventuais responsabilidades criminais relativas ao vazamento.
Os estudantes inscritos serão comunicados oportunamente pelos meios habituais da confirmação da nova data e do local das provas.
Em razão do adiamento, o resultado final das provas, inicialmente previsto para o dia 8 de janeiro, deve atrasar em cerca de um mês.
O Ministério da Educação trabalha para minimizar os efeitos do atraso.
Assessoria de Imprensa Inep/MEC

Fonte:http://www.inep.gov.br/imprensa/noticias/enem/news09_33.htm

.

--------------------------------------------------

Simulado ENEM 2009

Desculpas pelos atrasos e falta de postagens

.Desculpas pelo atrado e a falta de postagen amigos.É que estou muito ocupado estudando para o Mestrado. Mas vou tentar postar mais!! .

.Contunuem nos acompanhado. Aguardem novidades.

--------------------------------------------------

domingo, 13 de setembro de 2009

Slides de Genética - 1ª Lei de Mendel

.Olá pessoal logo abaixo segue uma apresentação de genética que venho utilizando e modificando para minhas aulas. Ela está bem recheada com mais de 150 Slides. Pode ser modificada a bel prazer pelos usuários. Se puderem divulguem o Site: www.danbio.net Abraço.

.

Genética - Introdução e 1ª Lei de Mendel
.



--------------------------------------------------

domingo, 6 de setembro de 2009

Saúde Bucal

Essa postagem é importante para quem esta tomando algum tipo de remédio...

Sim, os medicamentos podem apresentar efeitos colaterais na boca, dos quais a "boca seca" é o efeito colateral mais comum. Não deixe de informar seu dentista sobre os medicamentos que você está usando, mesmo aqueles que comprou sem receita médica.
Os seguintes medicamentos podem causar o ressecamento da boca:.

.
  • Anti-histamínicos (Antialérgicos);
  • Descongestionantes;
  • Analgésicos;
  • Diuréticos;
  • Medicamentos para pressão alta;
  • Antidepressivos.

Outros medicamentos podem causar inflamações, ulcerações, dormência,
formigamento, distúrbios de movimento, alterações do paladar e, durante a escovação ou do uso do fio dental, sangramento excessivo da gengiva. Se perceber quaisquer desses sintomas, consulte seu dentista ou médico.

Fonte: http://www.terra.com.br/saudebucal/colgate/condicoes_bocacorpo.html .
--------------------------------------------------

Postura incorreta é principal causa da temida dor de coluna

.Quem nunca sentiu uma dorzinha na coluna? Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que 85% da população mundial enfrenta ou vai enfrentar este mal durante a vida. O incômodo pode ter vários motivos, principalmente a postura incorreta em atitudes como andar curvado, ficar horas de frente para o computador e deitar ou sentar de forma errada. Também causam o problema levantar pesos excessivos, sedentarismo, obesidade, traumas, distúrbios hereditários etc.
.

.Além de exercer várias funções no organismo, como dar amplitude de movimento, a coluna propicia o equilíbrio e contribui para a locomoção. Não há idade específica para a dor aparecer, e deve-se ficar atento aos cuidados.
"A coluna é como uma máquina que precisa estar em perfeito funcionamento. Com o passar do tempo, e por conta de quedas e erros posturais, a coluna perde movimentos e doenças crônico-degenerativas aparecem", observa o quiropraxista Jason Gilbert.
A má postura pode causar desvios como escoliose, hiperlordose e cifose, até situações mais graves, como hérnia discal. Outros problemas são lombalgia (dor nas costas); dor na coluna cervical (pescoço); dor de cabeça ou cefaléia; dores nas articulações; tendinite do ombro e cotovelo e tensão muscular. "Muitas vezes as dores de cabeça não têm ligação neurológica. O problema está na coluna", afirma Gilbert.
O reumatologista Marco Antônio Bravo alerta que a dor nunca deve ser negligenciada. "O ideal é procurar um especialista para avaliar o caso. O que parece dor inofensiva, se não tratada adequadamente, pode agravar-se ao longo do tempo".
Para a atriz Karinna Anhê, 24 anos, ignorar as dores teve preço alto. "Eu dormia mal, malhava pesado e comecei a sentir muita dor nas costas, mas não procurei ajuda imediata. Quando fui ao médico, descobri que era uma contratura na coluna. A dor virou crônica e até hoje sinto. Faço massagem e acupuntura para amenizar".
Remédios e tratamentos
Analgésicos e antiinflamatórios, além de fisioterapia convencional, são usados no combate às dores de coluna. A intervenção cirúrgica ocorre em casos mais graves, como hérnia de disco. A quiropraxia, técnica de ajustes manuais, também promove o alinhamento da coluna. "A prática dedica-se a prevenção, diagnóstico e tratamento de problemas nas articulações, músculos, tendões e nervos", explica o quiropraxista Jason Gilbert.
Outros métodos que tratam e amenizam dores na coluna são: pilates, RPG (Reeducação Postural Global), massoterapia e acupuntura. Exercícios localizados, com foco na extenção de tronco, e alongamento também são indicados. "O alongamento, além de prevenir lesões, é essencial para o aquecimento e o relaxamento dos músculos. Deve ser incorporado antes e depois da rotina de exercícios físicos", finaliza o professor de Educação Física Washington Dória.
Faça o teste: como está a sua coluna?
Ombro e orelhas
Em frente a um espelho, fique com o corpo ereto e, de perfil, verifique se a ponta da orelha está alinhada com o ombro. Se ela estiver para frente ou para trás da linha do ombro, existe algum problema provocado pela má postura.
Barra da calça
Verifique a barra da calça. Dobre-a dos dois lados. Se tiver que dobrar um lado mais que o outro, pode haver um desnível, também provocado pela postura errada da coluna.
Glúteos
Veja se um glúteo está mais saliente que o outro. Se o corpo estiver desnivelado, a parte do glúteo que está sendo "forçada" acaba ficando maior que a outra, indicando desvio na coluna.
Sola gasta Observe se o solado de seu sapato está gasto igualmente nos dois pés. Quando a coluna está fora do lugar, há desgaste maior em um dos solados.
Quadris
Fique de pé e, com a coluna ereta, verifique se os seus quadris estão na mesma altura. Quando existe algum problema na coluna, geralmente um lado do quadril fica mais alto que o outro.
Mobilidade
Verifique sua mobilidade. Tente agachar e levantar. Se notar dificuldades de mobilidade e falta de equilíbrio, isso indica problemas na coluna.
Pescoço
Vire o pescoço para a direita e para esquerda, e observe se há dificuldade na hora de realizar os movimentos. Problemas na coluna podem limitar os movimentos do pescoço.
Resultado
Se você se identificou com alguma das situações acima, procure um médico o mais rápido possível para que ele possa fazer o diagnóstico e indicar o tratamento ideal.


Fonte: http://saude.terra.com.br/interna/0,,OI3960534-EI1497,00-Postura+incorreta+e+principal+causa+da+temida+dor+de+coluna.html .
--------------------------------------------------

sábado, 29 de agosto de 2009

No Rio, ambientalistas iniciam contagem regressiva até Convenção do Clima

Ambientalistas e ativistas ligados à organização não governamental Greenpeace realizam no fim da tarde deste sábado, na praia de Copacabana, zona sul do Rio, uma manifestação para marcar os 100 dias até o início da 15ª Reunião da Convenção do Clima, que será realizada de 7 a 18 de dezembro, em Copenhague, na Dinamarca..

.Durante o encontro, será discutido um novo tratado internacional para substituir o Protocolo de Quioto, que estabelece limites às emissões de gases de efeito estufa e expira em 2012.
De acordo com o coordenador do grupo local do Greenpeace no Rio, Pedro Torres, durante a mobilização de hoje os manifestantes vão marchar munidos de apitos, panelas e tambores, promovendo "um grande toque de despertar". Segundo ele, a contagem regressiva, que também está sendo iniciada em mais sete capitais brasileiras, tem o objetivo de mobilizar a sociedade e pressionar as autoridades brasileiras para assumir uma posição de liderança nessa questão.
"A reunião de Copenhague é histórica. Lá serão definidas as medidas que cada país vai adotar no combate às mudanças climáticas. O Brasil precisa ter um papel de vanguarda, de liderança nesse processo porque é o quarto maior emissor de gases de efeito estufa, principalmente por causa dos desmatamentos na Amazônia, que contribuem para o aquecimento global."
Os ativistas também vão recolher assinaturas nos locais de manifestação para um documento que será encaminhado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O objetivo é pedir que o país adote metas consideradas fundamentais para conter o aquecimento global como zerar o desmatamento da Amazônia até 2015 e apoiar a criação de um fundo financeiro internacional para dar suporte a essa redução; garantir que pelo menos 25% da eletricidade produzida no país sejam gerados a partir de fontes renováveis de energia como vento, sol, biomassa e pequenas centrais hidrelétricas até 2020 e apoiar a transferência de tecnologia entre países; e transformar pelo menos 30% do território costeiro marinho do Brasil em áreas protegidas até 2020.
"Está em cima da hora, mas ainda dá tempo de assumir essas metas. Temos que nos apressar porque talvez seja o último momento possível para que isso aconteça, por isso é preciso que a população esteja mobilizada e que nossas autoridades estejam prontas para representar o país no encontro de Copenhague", avaliou o coordenador.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ambiente/ult10007u616782.shtml.

--------------------------------------------------

Uma boa Explicação!

Agora esta explicado

[bichos.jpg]

Fonte: www.bionaweb.blogspot.com
http://www.umsabadoqualquer.com/ (link original)

domingo, 23 de agosto de 2009

Como curar ressacas !

Bom pessoa gostaria primeiramente de pedir desculpas pela falta de postagens nos ultimos dias. É que as aulas recomeçaram e tive que ajeitar a vida e a notas de vários alunos! E alguns cursos que estou fazendo também começaram agora a pouco tempo. Estou com um pouco menos de tempo! Mas bola para frente! Esse postagem surgiu de um post de uma amiga no twiitter.. pedindo consenhos para curar uma ressaca de Whisky com Red Bull... Vamos lá!
P.S. Se for dirirgir não bebam pessoal! 
Na hora do "porre" ninguém pensa no tal: "dia seguinte". Por isso vou ajudar vocês, como curar uma ressaca braba.
Tenham paciência, pois é bem interessante.
.

Você precisa de

A maneira mais fácil de curar uma ressaca é tomar medidas preventivas antes mesmo de começar a ação.
Para isso temos a versão "bem simples"
1- Coma moderadamente antes de beber cerca de uma ou duas horas antes de começar a beber. Isso faz com que você fique menos bêbado e com menos ressaca no dia seguinte.
2- Beba uma Coca-cola ou copo d'água a cada três drinques de destilados. A vantagem da água é que ela não irrita seu estômago. A vantagem da Coca é que ela tem açúcar pra caralho e isso é bom se teu estômago está nos conformes.
3- Beba um copo d'água/Coca/Suco de laranja/Água de côco antes de dormir. Eu prefiro um copo d'água e meio de Coca.
4- Ao acordar beba mais um copo d'água. Eu bebo a outra metade da Coca-cola e uma garrafinha de Gatorade.

Passos

  • Passo 1 - Antes de beber
A maneira mais fácil de curar uma ressaca é tomar medidas preventivas antes mesmo de começar a ação.
1. Coma algo - A maioria do álcool que você ingere é processada pelo intestino delgado, mas passa primeiro pelo estômago. Se há comida no seu estômago, demora muito mais para o álcool chegar no seu intestino delgado, demorando mais para você ficar bêbado. Isso também previne hipoglicemia (quando o álcool faz com que seu fígado quebre as reservas de energia e as despeje no seu sistema).
2. Beba água. Se você começar a noite desidratado, a situação só piora. 3. Tome 50mg de vitamina B6, coloque mais cinquentinha no seu bolso e outros cinquenta do lado da cama junto à um copo d'água grande. Aquele copo de pint que você roubou do pub é o máximo que você precisa encher.
Nota: mais de 500mg de vitamina B6 por dia e você está se intoxicando, então não exagere nisso pelo menos.
  • Passo 2 - Na farra
1. Beba um copo de água ou de alguma bebida não alcoólica para cada dose que você beber.
2. Misture em um copo d'água aqueles cinqüenta miligramas de B6 que está no seu bolso cerca de três horas depois da sua última dose, caso você demore para chegar em casa
3. Verifique sua urina. Se estiver escura, você está desidratado. Álcool é diurético, o que faz seu corpo expelir mais líquido do que ingere. Beba mais um copo d'água antes de voltar ao álcool. É aconselhável fazer essa verificação em um banheiro. Dentro dele de preferência.
4. Não misture. Clássica essa, eu sei. De preferência escolha de forma a evitar drinques providos de guarda-chuvinhas, que são repletos de congêneres. Os congêneres são toxinas criadas durante o processo de fermentação do álcool. Essas substâncias dão cor, sabor e cheiro ao álcool.
5. Não seja pão-duro. Quanto menor o preço da bebida, maior é a ressaca.
6. Evite beber rapidamente. Acetaldeído é outra substância causadora da ressaca. Seus efeitos incluem suor, náusea e vômito. Seu corpo quebra álcool etílico (o ingrediente ativo no álcool) em dois passos: primeiro em acetaldeído e depois acetato, que seu corpo expele. Esse segundo passo demora um pouco mais e quanto mais rápido você bebe em grandes proporções, mais desse acetaldeído nojento fica no seu sistema.
  • Passo 3 - Indo chapar
Você pode desejar loucamente cair na cama e chapar automaticamente ainda de sapatos, mas dez minutinhos de prevenção lhe pouparão muita chateação no dia seguinte.
1. Tome a vitamina B6 que você deixou preparada com o copo d'água. Certifique-se que é um copão de preferência.
2. Beba um copo de suco de laranja. A vitamina C faz seu fígado processar o álcool mais rápido.
3. Coma algo leve para prevenir baixa taxa de açúcar no sangue depois.
4. Não tome Tylenol ou comprimidos do gênero. Eles fodem seu fígado quando combinados com álcool. Não tome também relaxantes musculares ou remédios para dor. Pode fazer seu estômago sangrar e não deve ser bacana passar por isso.
5. Pode ir ao banheiro agora antes de dormir.
  • Passo 4 - "Day After"
1. Se for possível fique mais tempo na cama ou volte para ela. Você precisa de mais sono quando acorda para se curar melhor da ressaca. Se ao acordar você não se sentir tão mal, dê um passeio pela casa e descubra realmente os danos causados pelas alegrias da noite anterior.
2. Beba mais um pouco de água.
3. Dê atenção ao seu corpo. Se seu estômago está incomodado, não beba café ou nada que contenha cafeína. Se você estiver com náusas, beba sucos ou refrigerantes.
4. Coma algo. Carboidrato é bacana para certos efeitos hipoglicêmicos que não são de Deus.
5. Se a dor persistir, AGORA você pode tomar um comprimido esfervecente de sua escolha.

Importante

Abaixo segue a lista publicada pelo jornal médico BMJ com a ordem das bebidas que provocam a maior ressaca. Da mais leve à mais pesada:
1º - Etanol puro - Não beba mesmo assim.
2º - Vodka - A bebida dos profissionais.
3º - Gin - A escolha dos amargurados.
4º - Vinho branco - Sempre presente primeiro nos lançamentos de livros.
5º - Whisky - Causa dupla-personalidade quando bebido em excesso.
6º - Rum - Yarrr! Minha cabeça!
7º - Vinho Tinto - A bebida que você exagera antes mesmo de estar torto.
8º - Brandy - Mais fácil te oferecerem etanol puro em uma festa do que isso.
Atenção:
Quanto mais escura a bebida = mais congêneres = pior a ressaca.
Tequila não foi listada, mas como é escura é fácil adivinhar mais ou menos onde ela ficaria na lista. Uma exceção da regra: champanhe, que é também uma das piores ressacas.

.


--------------------------------------------------

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Especialistas identificam gene que regula reprogramação de células-tronco adultas

Pesquisadora manipula células-tronco embrionárias nos EUA; cientistas identificam gene que regula programação de células-tronco Pesquisadores descobriram que um gene supressor do crescimento de tumores, o p53, chamado de guardião do genoma, não tem apenas como função suprimir as células em vias de se tornarem cancerígenas, podendo também criar células-tronco saudáveis a partir de tecidos adultos.
.

.Os trabalhos de cinco equipes de pesquisa, publicados no domingo (9) na revista científica britânica "Nature", mostram que suprimir o gene p53 torna possível reprogramar com êxito as células adultas.As células-tronco embrionárias podem sofrer mutações para produzir todos os tipos de células humanas (sanguíneas, nervosas, musculares...) e desempenham um papel essencial da medicina regenerativa para que, no futuro, o coração e outros órgãos sejam reparados.
Mas a sua utilização suscita questões éticas.
Graças aos trabalhos pioneiros, em 2006 e depois em 2007, do pesquisador japonês Shinya Yamanaka, nos quais diferentes células adultas eram programadas para que fossem polivalentes, as células-tronco pluripotentes induzidas (iPS, na sigla em inglês) são vistas como uma alternativa à utilização das células-tronco embrionárias.
O gene p53, segundo os testes, pode deter a divisão das células ao mesmo tempo em que repara alterações genéticas, ou então, pode cessar completamente a multiplicação das células anormais e ordenar a elas a sua autodestruição.
O especialista em câncer Geoffrey Wahl, do Salk Institute (EUA), demonstrou junto com seu colega espanhol Juan Carlos Izpisua que, ao desativar o gene p53, a reprogramação celular é "pelo menos dez vezes mais eficaz".
As células iPS obtidas provocaram o nascimento de ratos com boa saúde, capazes de se reproduzir, segundo a equipe.
O gene atua como uma barreira quando os pesquisadores tentam reprogramar uma célula humana adulta para transformá-la em uma célula-tronco induzida (iPs).
Quando a ação do p53 é bloqueada, a produção de iPs se multiplica.
Assim como as células de um embrião, as iPs podem se transformar em qualquer tecido do corpo. 
Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u607535.shtml
.
--------------------------------------------------

Fumantes têm até 25 vezes mais chances de desenvolver câncer de pulmão

 "O Câncer", da série Folha ExplicaOlá pessoal estava eu passando pelo site da Folha de São Paulo e me deparei com esse livro de Riad Naim ele trás um boa leitura e esclare muitas dúvidas sobre o câncer! Seria bom que quem poder comprar dê uma lida!
Causas
Divulgação
Livro define o câncer e explica termos como tumor e metástase
No século 18, os médicos ingleses relataram o papel da fumaça sobre a incidência de câncer de bolsa escrotal em limpadores de chaminés; mas só em meados do século 20 se demonstrou o papel determinante do tabaco sobre a incidência do câncer de pulmão. De lá para cá, várias outras causas foram descritas. Vale ressaltar que é muito difícil provar a relação causal direta de um fator ambiental no aparecimento de um câncer em certos indivíduos - as provas biológicas são raras.
.

.



O fato de uma substância qualquer produzir câncer num animal (rato, por exemplo) não quer dizer necessariamente que ela produzirá o mesmo câncer no homem. Em geral, as evidências se baseiam em estudos epidemiológicos extensos, longos, de difícil condução, com pessoas que se apresentam como voluntárias para seguir um esquema rigoroso de comportamento (dieta, exercício etc.) durante muitos anos, a fim de que cientistas possam estabelecer alguma correlação com o aparecimento da doença.
Esses estudos são demorados, custosos e sujeitos às variações geográficas ligadas aos comportamentos costumeiros, ou à presença de recursos humanos e financeiros. Mais ainda: uma vez estabelecida ou pelo menos suspeitada a causa, resta convencer a sociedade, os especialistas e os formadores de opinião. Um exemplo foi o excessivo retardo entre a descrição do vínculo do cigarro com câncer de pulmão década de 60) e o início do engajamento da sociedade em ações e leis que ajudassem a reduzir o consumo do tabaco.
Modo de vida e alimentação
Hábitos cotidianos podem influenciar a probabilidade de uma pessoa desenvolver tumor maligno. A relação entre fumo e câncer é indubitável, apesar do esforço das indústrias de tabaco para encobrir as evidências. O cigarro e os outros produtos derivados do tabaco são a causa de cerca de 30% de todos os cânceres: 400 mil casos nos Estados Unidos e 90 mil no Brasil, somente no ano 2000, todos evitáveis.
A maioria dos pacientes com câncer de pulmão (87% a 94%) é de fumantes ou ex-fumantes, e 2% são fumantes passivos (isto é, têm contato intenso e prolongado com fumantes, apesar de pessoalmente não fazerem uso de tabaco). A incidência de câncer de pulmão se correlaciona diretamente com a intensidade do ato de fumar: um fumante de dez cigarros por dia tem oito vezes mais probabilidade de desenvolver câncer de pulmão que um não-fumante; e fumantes de um maço por dia (20 cigarros) têm 25 vezes mais probabilidade. Da mesma forma, as pessoas que deixam de fumar apresentam um padrão decrescente de risco de câncer com o passar dos anos, chegando perto do padrão de não-fumantes após oito a dez anos de abstinência do tabaco.
Há 20 anos, pesquisadores apontaram a relação direta entre algumas dietas e hábitos alimentares e a incidência de tipos específicos de câncer. Hoje, estima-se que 35% de todos os tumores malignos se relacionam à alimentação e, portanto, podem ser evitados. O câncer de estômago tem incidência exageradamente elevada em algumas regiões do mundo (Japão, China), enquanto o câncer de intestino prevalece em outras (Estados Unidos). Curiosamente, quando os japoneses emigram para os Estados Unidos, a incidência de câncer de estômago se reduz muitíssimo, e a de câncer de intestino aumenta de maneira progressiva.
Estudos comprovaram que a mudança de hábito alimentar, da comida japonesa para a dieta ocidental americana, determinou claramente o tipo de câncer que ocorreu nessa população migrante. Ficou demonstrada a possibilidade de influenciar o desenvolvimento de câncer por meio de mudanças de atitude. Muitos fatores relacionados ao modo de vida e à dieta das pessoas podem ter correlação com o desenvolvimento de um câncer. A Tabela 1 mostra alguns dos fatores mais estudados atualmente e seu efeito sobre o câncer.
PUBLIFOLHA/PUBLIFOLHA
*
"O Câncer"
Autor: Riad Naim Younes
Editora: Publifolha
Páginas: 96
Quanto: R$ 18,90
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha.


Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u589159.shtml.

--------------------------------------------------

Assistindo a Vida

Carregando...

 
Powered by Blogger